Epílogo

 

O banquete já havia terminado. Nós encontramos um quarto que não estava sendo utilizado, o quarto empoeirado de algum servo, e descansamos.

Isto era completamente diferente da última vez em que eu passei a noite no castelo. Aquele lixo de rei parecia ser capaz de fazer qualquer coisa para me atormentar.

É disso que eu o chamaria. Lixo.

Quanto a Myne, eu já havia decidido que a chamaria de Vadia… Parecia apropriado, levando em consideração o seu comportamento.

Quanto ao Motoyasu, eu o chamaria de Gigolô… Não… Palhaço.

É claro, existe a possibilidade de que ele estava apenas sendo manipulado pela Vadia, então decidi suspender seu apelido por enquanto.

Raphtalia percebeu que eu não estava comendo muito e saiu por alguns instantes.

“Os cozinheiros me cederam um pouco da comida que não foi utilizada na cozinha.”

“Ah… Obrigado.”

Ele me entregou algo similar a um sanduíche, e eu comecei a comê-lo.

“Bem, não é muito bom…”

Eu não sentiria o gosto de qualquer forma, então não importava o que eu comesse. Eu dei uma mordida.

“Huh?!”

Eu esperava algo insípido e nojento, mas aquilo me lembrou mais da primeira refeição que eu fiz aqui no castelo.

Eu estava imaginando coisas? Eu mordi outra vez.

“Isso… Eu… Eu consigo sentir o gosto disso.”

“Hm?”

“Desde que eles me incriminaram, eu fui incapaz de sentir o gosto de qualquer coisa.”

Mas por quê? Mesmo que eu já tivesse chorado tanto, eu senti lágrimas se formando novamente.

Eu não sabia que ser capaz de saborear comida seria tão… Tão caloroso, tão bom.

“Que bom, estou feliz por você. Você sempre preparou refeições tão deliciosas para mim, e eu ficava entristecida ao perceber que você não era capaz de aproveitá-las.”

Ela sorriu e deu uma grande mordida em seu próprio sanduíche.

“Vamos comer todo o tipo de coisas gostosas juntos!”
“Tudo bem.”

Alguém acreditava em mim. Aquele fato por si só fazia-me sentir mais… Leve.

Meu paladar desaparecera quando Myne me traiu… Mas agora ele havia retornado.

Era tudo porque ela acreditava em mim, tudo graças a Raphtalia.

Quem poderia imaginar que receber a confiança de alguém poderia fazer seu coração ficar tão leve?

“O que nós deveríamos fazer amanhã? Quer ir aumentar nossos níveis? Ou tentar ganhar mais dinheiro?”

“Certo… Eu gostaria de comprar equipamentos novos com o dinheiro de nossa recompensa. Nós estamos cerca de um mês atrás dos outros, então é aí que precisamos começar.”

Agora eu teria que lutar para salvar este mundo novamente. Mas desta vez, seria com uma pessoa que me entendia e acreditava em mim.

Eu não queria. Eu fiquei temeroso tantas vezes, mas decidi permanecer positivo pela Raphtalia. De que outra forma eu corresponderia a sua confiança?

“Sr. Naofumi?”

“O quê?”

“Vamos dar o nosso melhor!”

“Certo!”

Eu não queria mais apenas permanecer vivo. Eu queria avançar, porque ela confiava em mim.

Era um mundo completamente novo, cheio de sonhos e aventuras, como um anime ou um jogo. Mas ainda era um lugar horrível também. Porém eu… Eu ainda queria experimentá-lo.

Eu queria experimentá-lo por mim, e pela Raphtalia.

“Raphtalia.”

“O que foi?”

Pode ter sido rude, mas eu me inclinei e beijei o rosto da garota que acreditava em mim.

“Muito obrigado.”

“Ah… Ahhhh…”

“An… Me desculpe? Suponho que você não goste desse tipo de coisa.”

“Não, eu… Eu… Oh… An…”

“Tudo bem, tudo bem, me desculpe. Aquilo foi rude. Eu não o farei novamente.”

“Está tudo bem!”

Eu entendi. Ela estava cheia de propósito, e não queria que aquilo acontecesse. Ela ficaria irritada. Eu aprendi uma lição valiosa.

Se isto fosse um anime, nós teríamos sido retratados como um casal em uma relação física. Mas no mundo real, isso jamais iria acontecer.

Lá estava ele, aquele meu habito horrível. Ficar imaginando que tudo vai dar errado.

Este não era um mundo de sonhos. Era a realidade, mesmo que uma realidade diferente. Se eu a tratasse como um jogo de fantasia ou um anime, eu apenas acabaria me machucando. Nós precisávamos de um plano consistente se quiséssemos sobreviver.

Raphtalia apertou minha mão, e eu apertei a dela de volta.

Nós ficaríamos bem. Nós poderíamos superar o que quer que fosse necessário. Se fosse ao lado de alguém que confiava em mim, eu era capaz de dar o primeiro passo.

Minha luta estava apenas começando. Eu não precisava me precipitar, apenas dar um passo de cada vez.

Comentários