Dor Compartilhada

 

Eu acordei na despensa do castelo.

Ela estava mofada. Eu odiava aquele lugar, mas sentia-me bem descansado.

Eu podia ouvir um ressono rítmico vindo do monte de palha próximo a mim. Uma jovem garota chamada Raphtalia dormia ali.

Vamos parar um minuto para revisar tudo o que ocorreu até agora.

Meu nome é Iwatani Naofumi. Eu sou um estudante do segundo ano de uma universidade.

Eu nasci no Japão, igual a todos os outros. Sendo sincero, eu sempre fui meio otaku.

Eu estava na biblioteca lendo um livro chamado ‘Os Registros das Quatro Armas Celestiais‘ quando, por algum motivo, eu fui transportado para o mundo de fantasia do qual o livro falava. Eu havia sido invocado para cumprir o papel de Herói do Escudo.

O mundo estava sofrendo por causa das ‘ondas de destruição’, nas quais hordas de monstros e desastres horríveis vindos de outras dimensões vazavam por meio de fendas no espaço. Quatro heróis foram invocados com o objetivo de proteger o mundo. Havia um escudo em meu braço que eu não podia remover – talvez fosse algum tipo de maldição? Eu me descobri incapaz de atacar. Tudo o que eu podia fazer era defender.

Porém eu tinha certa experiência prévia com MMORPGs, então eu foquei em me proteger e recrutei outra pessoa para atacar em meu lugar.

Quando nós iniciamos nossa aventura eu estava muito animado. Mas eu caí em uma armadilha perversa. Alguém me culpou por um crime que eu não havia cometido, e eu fui condenado. Daquele momento em diante ninguém mais confiava em mim. Eu não consegui fazer nenhum aliado nem consegui qualquer pessoa para me ajudar, e todos partiram do castelo sem dirigir uma palavra a mim. Eu estava em uma situação realmente difícil.

Eu achei que não teria que fazer nada. Eu imaginei que eu não precisaria batalhar contra as ondas de destruição. Eu estava enganado.

As ondas de destruição surgiam uma vez por mês, e nós heróis éramos transportados instantaneamente para o local da destruição.

Eu estava sendo forçado a proteger um povo com o qual eu não me importava nem um pouco – e isso não era nem um pouco justo. Eu fiz tudo o que podia para juntar dinheiro com o objetivo de sobreviver, tudo isso enquanto as pessoas zombavam de mim.

A garota que está dormindo próxima a mim, Raphtalia, é uma escrava demi-humana. Eu a comprei.

A escravidão ainda existe neste mundo e neste país em específico, Melromarc, haviam pessoas chamadas de ‘demi-humanos’ que possuíam atributos animalescos. Eles eram vendidos como escravos o tempo todo.

Quando eu a comprei ela era apenas uma garotinha, mas enquanto nossos níveis iam aumentando ela cresceu rapidamente até aparentar ser levemente mais jovem do que eu. Aparentemente demi-humanos cresciam de forma diferente do restante de nós – eles se desenvolviam de acordo com seus níveis, não sua idade.

No começo, eu havia decidido que apenas iria fazê-la trabalhar o mais exaustivamente possível, já que ela era uma escrava. Mas subitamente um babaca pomposo chamado Motoyasu me forçou a participar de um duelo. Após a batalha, Raphtalia acreditou em mim e tentou sacrificar sua própria liberdade para me proteger. Bem, outras coisas aconteceram também, mas afinal, nos tornamos amigos íntimos e passamos a confiar profundamente um no outro.

Honestamente, durante um longo período de tempo eu não me importava se o restante do mundo morresse. Mas agora, eu sentia um leve desejo de ajudar.

“Ah…”

Raphtalia acordou e esfregou seus olhos.

“Bom dia, Sr. Naofumi…”

“Ah… Bom dia…”

Ela era realmente linda.

Seu rosto era uma obra de arte. Eu poderia utilizar outras palavras além de ‘linda’, mas vou me conter momentaneamente.

Seu cabelo era marrom e ele descia em cachos soltos pelas suas costas. Seus olhos eram grandes e brilhantes. Eles eram de uma cor de chá profundamente vermelho. Os olhos mais lindos que eu havia visto.

Com todas as situações pelas quais ela havia passado, eu não sabia como seus olhos permaneciam tão puros e gentis. Eram puros demais para pertencerem a um corpo daquela idade. Eles eram a característica mais charmosa dela.

Eu aumentei meus níveis e ganhei dinheiro ao lado de Raphtalia até a chegada da primeira onda de destruição. Esta era a primeira onda que eu via, mas já era a segunda onda que visitava este mundo. Foi uma batalha difícil, mas eu posso falar sobre isso mais tarde. A parte mais difícil ocorreu após a batalha.

“Nós deveríamos ir tomar um café da manhã?”

“Sim. Acha que podemos comer no refeitório do castelo?”

“Talvez… Vamos descobrir.”

Então nós partimos para o refeitório, e eu continuei pensando em tudo o que havia acontecido até então.

Ah, e meu nome também ainda precisava ser limpo. Os oficiais do castelo me tratavam com frieza. Todas as vezes em que eu tentava ir até a cafeteria os guardas me forçavam a sair. ‘Os cavaleiros e os outros heróis ainda estão comendo’ eles diziam. ‘Volte quando todos tiverem terminado’. Se eu não estivesse sendo forçado a ser o Herói do Escudo, e se eu pudesse atacar, eu teria acabado com todos eles à muito tempo.

E não sobraria sequer um ‘herói’ para me impedir!

 

Nós terminamos de comer e fomos guiados até a câmara de audiências.

A ocasião supostamente deveria ser uma de comemoração. Nós todos estávamos prestes a ser recompensados pelos nossos esforços durante a onda de destruição.

Dá um tempo! Se eles iriam nos fazer esperar um dia antes de nos pagar, eles deveriam ter dito logo! Aquele Lixo estava tentando me irritar.

A ideia de passar mais um segundo ao lado daquele grupo de imbecis era insuportável. E se eu acabasse contraindo uma úlcera ou algo do tipo?

A pessoa a quem eu me refiro como ‘Lixo’ é na verdade o rei deste país, Aultcray Melromarc… Segundo? Terceiro? Não consigo recordar.  De qualquer forma, provavelmente foi ele quem me convocou.

Quando eu fui falsamente acusado e condenado, ele nem ao menos tentou descobrir a verdade. Ele apenas observou enquanto eu caía. Excelente rei, não é? E então, noite passada, ele usou sua autoridade novamente para causar agitação.

“Agora serão distribuídas tanto as recompensas pelas suas performances na batalha anterior como também os fundos preparatórios para a sua próxima batalha.”

Era disso o que eu precisava: dinheiro para preparações.

O Lixo tinha prometido que ele cederia dinheiro a todos os heróis.

Um subordinado entrou na sala. Ele carregava rigidamente um saco de dinheiro em suas mãos.

“Agora, para cada um dos heróis…”

Eu olhei para o saco de dinheiro.

No mínimo, ele nos providenciaria com quinhentas peças de prata a cada mês.

O que eu compraria com isso?

Provavelmente a decisão mais inteligente seria adquirir uma arma nova para Raphtalia.

Ou talvez já tivesse chego o momento de investir em uma armadura nova? Parando para pensar, eu também gostaria de alguns materiais novos para utilizar na fabricação de medicamentos. Eu também poderia deixar meu escudo absorvê-los e descobrir quais habilidades eles desbloqueariam.

Eu ouvia as moedas deslizando dentro do saco enquanto fantasiava sobre o que eu poderia comprar.

O subordinado abriu o saco para que pudéssemos ver o seu interior.

Eu contei rapidamente as moedas que estavam lá dentro. Sim, aparentavam haver quinhentas moedas ali.

“Para o Sr. Motoyasu, por ambos o nosso reconhecimento de seu desempenho em batalha e para expressar nossas expectativas com relação ao seu futuro, nós lhe oferecemos quatro mil moedas de prata!”

Ei!

Eu fiquei surpreso. Ainda atordoado, eu olhei rapidamente para o saco muito pesado que o Motoyasu segurava. No entanto, se eu tentasse protestar eu não iria conseguir nada além de mais menosprezo, então eu mordi minha língua. Senti meus dedos se curvarem involuntariamente em um punho fechado.

Todos chamavam este cara de ‘Sr. Motoyasu’, mas seu nome era Motoyasu Kitamura. Como eu, ele tinha sido invocado de um Japão alternativo para ser um dos quatro heróis – o Herói da Lança.

Ele tinha vinte e um anos. Os outros heróis aparentavam ter experiência e sabiam tudo sobre este mundo. Eles adquiriram este conhecimento por meio de um jogo que eles tinham jogado em seu mundo anterior. Mas eles não dividiram este conhecimento comigo. Eles me incriminaram e me chutaram quando eu estava no chão.

Motoyasu, alegadamente, acabou sendo esfaqueado devido aos seus hábitos de conquistador em seu mundo anterior, e então acordou aqui. Ou pelo menos foi isso o que ele disse, então quem sabe se é verdade ou não.

Ele permitia apenas mulheres em sua equipe. Era como se ele quisesse formar um harém ou algo do tipo.

Noite passada, imaginando que eu estava abusando de Raphtalia como minha escrava, e para satisfazer algum tipo de ‘complexo messiânico’, ele decidiu tentar ‘salvá-la’ de mim e me desafiou para um duelo.

Normalmente um duelo deve ser aceito por ambas as partes, e ambas as partes deveria ter algo a ganhar com o duelo, mas esse não foi o caso. Ele me ofereceu um duelo em que eu não tinha nada a ganhar. Obviamente eu recusei, mas o Lixo interveio e me forçou a participar. Se eu perdesse, eles tirariam a Raphtalia de mim e se eu vencesse eu não receberia nada. Na minha opinião, uma proposta bem injusta.

De qualquer forma eu teria que lutar com ele, e eu não queria ser derrotado sem uma boa batalha antes. Então eu fiz o que eu podia com as opções que eu tinha e acabei prendendo-o. Parecia que eu iria vencer, mas então alguém burlou as regras e me atacou pelas costas para garantir a minha derrota.

No fim, Raphtalia rejeitou o Motoyasu e veio para o meu lado por conta própria.

Então basicamente esse cara era a causa de todos os meus problemas.

Honestamente, ele age como um típico conquistador. Ele é bonito o bastante, e entretém a si mesmo flertando com garotas o tempo todo.

Ele vestia um peitoral prateado polido. Ele claramente estava na equipe vencedora.

“O próximo é o Sr. Ren. Como forma de reconhecimento por você ter cumprido o nosso pedido, e é claro para expressar nossa confiança e esperança em você, sua recompensa é de três mil e oitocentas peças de prata!”

Ele também?!

Ren estava parado fingindo sentir-se imperturbável, mas ele obviamente estava com inveja da recompensa impressionante de Motoyasu. Ele deixou o saco com as moedas de prata pender pesadamente em sua mão. Eu pude ouvi-lo murmurar para si mesmo: “Apenas por que você é o favorito do rei…”

Seu nome completo era Ren Amaki e, como eu, ele fora invocado para cá de algum outro Japão. Ele era o Herói da Espada. Eu acho que ele disse que tinha dezesseis anos.

Sim, ele também vinha do Japão. Mas não do mesmo Japão que eu. Em seu mundo havia algo chamado VRMMO, algum tipo de sistema que permitia que o usuário entrasse completamente no mundo virtual. Onde quer que este Japão ficasse, ele era mais avançado tecnologicamente do que o mundo de onde eu vim.

Aparentemente haviam muitos Japões diferentes. Se alguém tivesse me perguntado alguns meses atrás, eu provavelmente aceitaria imediatamente uma oportunidade de visitar o mundo dele.

Ele é tão alto quanto o esperado de um garoto de dezesseis anos, e seu rosto era bonito. Um espadachim principesco é a melhor forma de defini-lo. Ele sempre agiu de forma calma, mas eu tenho a impressão de que ele esconde uma atitude extremamente impetuosa por trás de toda essa atuação. Ele era condescendente, e eu sempre imaginei que ele pensava em si mesmo como o VERDADEIRO herói, aquele que salvaria o mundo graças aos seus conhecimentos sobre jogos.

“Agora, o Sr. Itsuki. As notícias sobre os seus atos ecoam através do país. Você realizou um trabalho verdadeiramente espetacular mesmo em tempos tão difíceis. Sua recompensa é de três mil e oitocentas peças de prata.”

Itsuki suspirou, mas pareceu pensar que sua recompensa fora justa. Ainda assim, eu o vi lançar um olhar invejoso na direção de Motoyasu.

Seu nome completo era Itsuki Kawasumi e ele era um ano mais velho que Ren, ou seja, ele tinha dezessete anos. Ele passava uma impressão de suavidade e delicadeza. Mas ainda assim havia uma lacuna sobre dele, algo vaidoso. Ele carregava consigo o Arco Lendário.

Nós não conversamos muito, então eu ainda não sei muito sobre ele. Mas ele tinha a mesma quantia de conhecimento sobre o mundo que ambos o Motoyasu e o Ren possuíam, e eu sabia que ele também vinha de um Japão diferente.

Ele aparentava ser o mais novo dentre nós heróis. Mas na realidade, Ren era o mais jovem.

Ainda assim, o que tinha sido este ‘pedido’ que o rei mencionou quando falou com Ren? Essa era a primeira vez que eu ouvia de algo assim.

“Já o Escudo, bem, esperamos que você se esforce mais de agora em diante.”

Ele nem sequer me chamou pelo nome! Quem é esse ‘Escudo’?!

Eu estava tão irritado que senti como se pudesse explodir. Depois de tudo o que ele fez ontem?

Eu tentei alcançar meu saco de dinheiro, mas o servo o tirou de meu alcance antes que eu pudesse pegá-lo.

“Como taxa pela remoção da maldição dos escravos posta sobre Raphtalia, seus fundos de apoio serão revogados!”

Mas que desgraçado!

“Ahn… Meu suserano…”

Raphtalia levantou sua mão.

“O que foi, demi-humana?”

“O que foi este pedido que você mencionou?”

Então a Raphtalia também estava tentando entender. Ela ignorou o fato de que nosso dinheiro estava sendo revogado e tentou entender o problema de outra forma.

“Os problemas que afligem a nossa grande nação estão sendo resolvidos, a meu pedido, pelos heróis.”

“Por que estes pedidos não foram oferecidos ao Sr. Naofumi? Esta é a primeira vez que ouvimos sobre isso.”

“Há! O que o Escudo poderia fazer?”

Droga! Eu odeio esse cara.

Todos na câmara de audiência começaram a rir silenciosamente.

…Eu não consigo suportar. Estou prestes a estourar.

“…”

Eu achei que eu estava tendo dificuldades para aguentar a situação, mas eu conseguia até mesmo ouvir o quão forte Raphtalia estava fechando os seus punhos.

Eu olhei em sua direção, e ela estava quase tremendo de ódio.

Certo, eu acho que podemos nos conter por enquanto.

“Bem, é verdade que ele não ajudou muito.”

“Você tem razão. Eu não o vi durante a batalha. Me pergunto o que ele estava fazendo?”

“Se um Herói não se jogar na linha de frente durante uma batalha, então não tenho certeza de seu propósito.”

Os três heróis restantes adicionaram seus próprios comentários irônicos.

Agora eu estava ficando realmente furioso. Eu precisava dizer alguma coisa.

“Deixar todos os aldeões para trás enquanto vão lutar contra o chefe – isso realmente é salvar o dia, não é, Heróis?”

Eles tinham ignorado completamente os grupos de aldeões que estavam em perigo e se concentraram completamente em um único inimigo no campo de batalha. Alguém precisava salvar aquele povo, e este trabalho recaiu sobre mim.

“Ha! É para isso que servem os cavaleiros! Não é?”

“Claro, o problema é que os cavaleiros são idiotas! Se eu tivesse deixado os aldeões para os cavaleiros, quantas pessoas vocês acham que teriam morrido? Vocês não saberiam, pois estavam olhando apenas para o chefe!”

Motoyasu, Ren e Itsuki se viraram para olhar para o capitão dos cavaleiros. O capitão assentiu lentamente antes de falar, irritado.

“Mas… Se os Heróis não permanecerem fazendo todo o possível para suprimir a onda em sua fonte, a destruição apenas aumentaria! Pare de se vangloriar!”

Eu não conseguia acreditar no que meus ouvidos escutaram.

Tudo o que esse cara fez foi vaguear arrogantemente pelo castelo… Além disso, todos estavam se esquecendo de que eu também era um dos heróis? É isso? Eles não me reconheciam mais como o Herói do Escudo?

“Certo, está bem. O restante de nós está bem ocupado, então nós vamos tomar o nosso rumo.”

Entrar em uma briga neste momento não me beneficiaria de forma alguma. A melhor atitude que eu poderia tomar é a de sair.

“Espere um instante, Escudo.”

“Huh? O que foi agora? Diferente de um certo rei prepotente, eu tenho coisas para fazer.”
“Você é pior do que eu imaginava. Saia! E nunca mais mostre seu rosto aqui.”

O quê?! Esse Lixo realmente fazia todo o possível para me irritar!

“Isso é ótimo. Você não acha, Sr. Naofumi?”

Raphtalia exibia um sorriso de orelha a orelha.

“O quê?”

“Agora não precisamos mais perder nosso tempo em um lugar como este. Ao invés de gastar nosso tempo com frivolidades, agora podemos investi-lo em algo que valha a pena.”

“S-Sim.”

Eu estava começando a sentir que realmente podia confiar nela.

Ela tomou minha mão na sua, e a apertou. Ela provavelmente também estava furiosa. Parecia que havia tanta ira conosco, ódio que não conseguíamos controlar por conta própria. Mas juntos…

“Esperem um momento.”

Itsuki ergueu sua mão e falou com o Lixo.

“O que foi, Herói do Arco?”

O que ele estava planejando fazer? Não que eu esperasse que seus argumentos fizessem qualquer tipo de sentido.

“Sobre o duelo da noite passada, no qual o Sr. Naofumi foi tratado de forma injusta já que houve uma intervenção externa. Quais medidas você pretende tomar com relação a isso? É isso o que eu queria perguntar.”

Durante meio segundo, a sala ficou em silêncio.

“Não tenho certeza se entendo a que você se refere.”

“Bem, originalmente, o duelo era sobre a liberdade da Srta. Raphtalia. Porém, mesmo com as evidências óbvias de que o duelo não foi justo, a maldição da escravidão ainda foi removida da Srta. Raphtalia. Tecnicamente, essa era a recompensa caso o Sr. Naofumi perdesse o duelo, correto? Mas ainda assim, você revogou a recompensa do Sr. Naofumi sob o pretexto de que seria o pagamento pela remoção da maldição. Estou perguntando se você acha que essa foi uma decisão justa.”

O que é isso? Os olhos do Itsuki estavam afiados, e ele estava contrariando vigorosamente o rei?

“Ele está certo. Eu estava assistindo a tudo lá de cima e, de acordo com as regras, se tivesse sido um duelo justo Naofumi teria vencido.”

“Eu não perdi!”

Motoyasu gritou, mas Ren e Itsuki não estavam dando ouvidos às suas reclamações. Seus olhos eram frios.

“Dependendo de sua resposta, talvez nós vamos até mesmo precisar reconsiderar se Naofumi é realmente culpado dos crimes dos quais ele fora acusado.”

“Eu… Bem…”

O Lixo se sentou ali, estupefato, seus olhos vagando pela multidão.

“Ah, não foi assim que aconteceu! Sr. Itsuki, Sr. Ren, vocês entenderam tudo errado!”

A Vadia estava vestindo roupas caras e usava uma quantia espessa de maquiagem. Ela abriu caminho em meio a multidão.

É isso mesmo! Era tudo culpa dela, a mulher que me incriminou e afundou meu nome no barro, a Vadia!

Myne Suphia. Aparentemente seu nome verdadeiro era ‘Malty’, mas quem liga para o seu nome estúpido?

Seus cabelos eram de um tom escuro de vermelho, igual a sua personalidade, e ela possuía uma atmosfera desagradável ao seu redor. Ainda assim, eu sou obrigado a admitir que ela era bela.

Quando nós heróis partimos em nossa aventura, ninguém mais se ofereceu para me acompanhar além dela. Mas ela acabou roubando todo o dinheiro que havia sido providenciado para mim antes de me incriminar, arruinar minha reputação e fugir para o lado do Motoyasu. Ela era maldade pura.

Então eu decidi chamá-la de Vadia deste ponto em diante.

Dá pra acreditar? A Vadia também é uma princesa.

O livro que eu estava lendo em meu mundo antigo, ‘Os Registros das Quatro Armas Celestiais’, também mencionava uma princesa mal-intencionada. Tenho quase certeza de que se referia a ela.

“O duelo deveria ser um contra um, mas mesmo assim o Herói do Escudo escondeu monstros sob sua capa e os utilizou contra seu oponente. Essa foi uma clara violação das regras e desta forma meu pai, o rei, fez uma decisão justa.”

Dá um tempo. Como eles esperavam que eu lutasse se eu sequer era capaz de atacar! Eles estavam cientes disso quando me desafiaram para um duelo.

“Eu entendo como você se sente, mas ainda assim…”

“Você não consegue concordar, não é?”

Itsuki e Ren pareciam desapontados.

A Vadia estava tentando pensar em outra forma de sair desta situação. Seu cérebro funcionava somente quando ela estava fazendo planos contra alguém, aparentemente.

“Srta. Myne, mesmo se o que você diz é verdade, suas próprias ações também foram uma violação das regras.”

“Claro, ele não se esforça tanto quanto o restante de nós, mas pelo que eu pude entender a Guilda também não está lhe cedendo nenhum tipo de trabalho. Ele não precisa de um pouco de apoio, pelo menos para sobreviver? Além disso, ele realmente protegeu os aldeões durante a onda enquanto os cavaleiros não fizeram nada.”

O rosto da Vadia se contorceu. Eu sabia que ela estava irritada.

O que ela poderia fazer? Claro, ela poderia tentar usar sua autoridade como princesa, mas ela sabia que jamais conseguiria manipular os heróis de forma tão direta.

O fardo das provas estaria sobre ela. Seria diferente da época em que ela me incriminou. Não havia testemunhas antes.

“Muito bem, vamos providenciar para ele uma pequena quantia de fundos. Pegue-os e retire-se.”

O Lixo mandou de forma pomposa, e um servo arremessou um saco de dinheiro em minha direção.

“Certo, meu suserano. Nós vamos partir agora. Nós agradecemos pela sua decisão sagaz.”

Raphtalia soava animada enquanto me guiava para fora do castelo.

“Fugindo com o rabo entre as pernas.”

Como se o Motoyasu pudesse dizer algo. Ren e Itsuki permaneceram em silêncio.

Quem diria? Simplesmente certificar o nosso ódio mútuo tornou a vida muito mais fácil.

Além disso, parecia que Ren e Itsuki estavam começando a nutrir suas próprias dúvidas com relação ao Motoyasu. Ainda assim, eles não fariam nada sobre isso. Eles jamais sacrificariam sua própria posição, não é mesmo? Não… Eles terão de permanecer na minha ‘lista negra’, por enquanto.

 

“Certo, vamos voltar para a  tenda do negociante de escravos e pedir para que ele reaplique a maldição dos escravos.”

“O quê?”

Raphtalia me disse isso imediatamente após sairmos dos portões do castelo.

“Se nós não fizermos isso, eu acho que você será incapaz de acreditar em mim do fundo do seu coração.”

“Eu não… Você não precisa ser uma escrava.”

“Eu acho que eu preciso.”

“Por quê?”

“Sr. Naofumi, você perdeu a capacidade de confiar em qualquer um que não seja seu escravo. Não minta para mim.”

Eu tinha criado ela errado?

Ela estava correta ao dizer que eu não conseguiria confiar em ninguém que não fosse um escravo meu, mas ainda assim, eu acho que poderia confiar nela, mesmo se ela não fosse minha escrava.

Se Raphtalia estivesse pensando apenas em si mesma, ela teria corrido para o lado do Motoyasu após o duelo. Essa seria a melhor opção para ela.

Ela sabia que todos no reino me odiavam, e que ninguém confiava em mim. Mas ainda assim, ela escolheu voltar para a minha equipe. Isso era significativo.

“Ei, Raphtalia…”

“O que foi?”

“Você não precisa reaplicar a maldição.”
“Mas eu quero.”

Qual é o problema dessa garota?

“Eu quero provas de que você acredita em mim.”

Quando ela disse isso, eu instantaneamente pensei no quanto eu queria protegê-la.

Uma emoção germinou  em meu peito. Eu acho que era amor, mas havia algo a mais também.

Ela certamente se assemelhava a uma mulher crescida, mas ela era uma criança apenas uma ou duas semanas atrás. Aparentemente demi-humanos amadureciam com base em seu nível ao invés de sua idade.

Ela havia perdido seus pais em uma onda de destruição recentemente. Talvez aquilo o que eu estava sentindo não era um amor romântico – não, eu acho que era algo muito mais próximo ao de um amor paternal. Eu me sentia assim porque eu a vi crescer diante de meus próprios olhos. Sim, devia ser isso.

Deve ser assim que pais se sentem. Esse seria o meu papel. Eu tomaria conta dela.

“Vamos.”

Se ela fosse tão insistente, eu não seria capaz de impedi-la. Ela poderia fazer o que quisesse.

Nós decidimos visitar aquela tenda, a tenda que vendia escravos.

 

N/T: Um complexo messiânico (às vezes referido como complexo de messias) é um estado psicológico que faz com que um indivíduo acredite que é sua responsabilidade salvar ou ajudar a todos, seja em eventos específicos ou em escala global. Indivíduos afetados por este complexo tendem a abrir mão de família e amigos para focar todos os seus esforços no que eles consideram um ‘chamado divino’.

Comentários